Disclaimer: I do not build database engines. I build web applications. I run 4-6 different projects every year, so I build a lot of web applications. I see apps with different requirements and diff…

Durante as minhas andanças navegadas aí pela internet, tropecei em um artigo muito interessante sobre o uso de base de dados NoSQL, ou melhor, o NÃO uso de bases de dados NoSQL (MongoDB mais concretamente) que acabou tirando muitos dúvidas e medos que eu tinha em relação ao fim das bases de dados relacionais, e também esclareceu alguns mitos sobre esta relativamente “nova” tecnologia.

Nunca usei…

Eu ainda não cheguei a usar uma dita base de dados NoSQL (ou pelo menos que eu tenha me dado conta… será que Redis conta? Acho que  sim?..), somente em alguns campos de certas tabelas que acabo armazenando os dados em json no DB PostgreSQL porque estes não tem uma estrutura fixa (esquema) e necessitam uma certa flexibilidade (irei detalhar em um outro artigo).
Nunca usei porque nunca tive necessidade em algum projecto e ainda não fez parte dos requisitos mas, através deste artigo, pude entrar um pouco mais dentro da filosofia do NoSQL.

É um pouco longo mas…

Advertindo que o artigo está escrito em inglês (se você não flutua no inglês, isso não é nada que o chrome não possa lidar e ainda te ajudar a dar algumas gargalhadas com os erros de concordância e traduções directas) e é um pouco longo, mas para quem está na dúvida sobre a base de dados que vai usar ou nem sabe o porquê estar a usar a DB que está a usar ou então escolheu porque é o que todo mundo está usando, este artigo vai ajudar.

Why You Should Never Use MongoDB « Sarah Mei

O artigo conta a trajectória do desenvolvimento de uma rede social distribuída e open source (Diaspora), os erros e as lições.

O artigo foi escrito por @saramei, uma desenvolvedora americana do mundo Ruby. 👩‍🎨

Encontre o artigo no seguinte link: Why You Should Never Use MongoDB « Sarah Mei

Deixe um comentário